Notícias

GREVE GERAL

Publicado em: 20 de Junho de 2013

Trabalhadores em Educação deliberam greve geral no Acre

 

Greve está programada para iniciar na próxima terça-feira (dia 25 de junho). Principal pauta de reivindicação não foi atendida.

 (Rayssa Natani/ Do G1 Acre)

 

Após meses de tentativa de negociação com o estado, os profissionais da educação deliberaram greve geral por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (25), em assembleia geral realizada nesta quinta-feira (20), em frente ao Palácio Rio Branco. Desde abril, os profissionais discutem a proposta de reformulação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), a aprovação da data-base e o aumento salarial.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac) João Sandim, a contraproposta apresentada pelo governo não foi satisfatória para a categoria. A principal reivindicação, referente ao aumento salarial, não foi atendida.   "Nós tivemos uma extensa reunião com a equipe de negociação do governo estado e infelizmente só alguns pontos específicos foram garantidos. Nossa principal pauta, que trata do aumento de 15%, referente a inflação de 2011 e 2012, mais ganho real, isonomia salarial dos professores de contrato provisório com os professores do quadro efetivo e outros pontos receberam negativas por parte do governo", diz.

Duas principais pautas de reivindicações referentes a reformulação do PCCR tratam do cumprimento da Lei 12.014, que transformou um funcionário de escola em um profissional da educação, garantindo o piso salarial e o plano de carreira do pró-funcionário, respeitando seu tempo de serviço e a jornada de trabalho. Além de definir a redistribuição, tanto de professores quanto dos demais funcionários.

Ainda segundo João Sandim, o governo alega que não tem condições de implementar essas políticas neste ano. "Eles dizem que só a partir de novembro poderão discutir toda e qualquer pauta que onera a folha de pagamento do estado. Como já foram dados vários prazos, tanto para o estado quanto para a prefeitura, vamos oficializar o Ministério do Trabalho para fazermos uma greve dentro da legalidade", afirma.

 

Greve geral: Professores paralisam atividades a partir da próxima semana

Gleydison Meireles / AC24HORAS
 

Em assembleia geral realizada na manhã desta quinta-feira (20) professores rede pública estadual e municipal deliberaram por greve geral após rejeitarem a contraproposta enviada pelo governo do Estado, que afirmou que qualquer negociação salarial só acontecerá em 2014.  Entre as reivindicações a categoria pedia a reformulação do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração (PCCR), que seria o reenquadramento dos profissionais do período de 1999 a 2013; Criação da carreira e do piso salarial para os servidores que estão cursando inseridos no programa Pró-funcionário; Isonomia salarial e concurso público para professores e funcionários do Estado.  “O sentimento é de decepção, a prefeitura vem tratando a categoria com descaso”, disse a presidente do Sindicato dos Professores Licenciados (Sinplac), Alcilene Gurgel.

De acordo com João Sandim, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), representantes do sindicatos e equipe de governo se reuniram por cinco oportunidades, mas não houve avanço nas negociações. “Infelizmente o governo estadual não deixou outra alternativa a categoria senão deliberar greve geral, foram cinco encontros com a equipe de governo que não avançaram sobre os principais pontos de reivindicação”, declarou Sandim.

Os pontos principais a que se refere o sindicalista são o reajuste salarial e o reenquadramento dos funcionários de escola e professores efetivos.  “Nenhuma proposta referente a aumento salarial será atendida pelo Governo esse ano, qualquer conversa dessa natureza somente para 2014, e isso deixou a categoria descontente, por isso a greve”, justificou o sindicalista.

A paralisação é por tempo indeterminado e terá inicio já na próxima terça-feira (25). Professores não aceitaram a contraproposta da equipe de governo e acenaram positivamente para uma greve por tempo indeterminado a partir de terça-feira.

 

 

 

Insatisfeitos com proposta do Governo, professores entram em greve na terça

 

 

(Com informações da Agência ContilNet)

 

Foi decidido na assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (20), a partir das 9 horas da manhã, na Praça Eurico Gaspar Dutra em frente à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), que os professores das redes estadual e municipal entrarão em greve por tempo indeterminado na próxima terça-feira (25). O evento foi promovido por membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac) e do Sindicato dos Professores Licenciados do Acre (Sinplac).

O objetivo foi informar as categorias sobre a contraproposta oferecida pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE/AC) em relação às reivindicações propostas. Dentre as reivindicações de ambos os sindicatos, estão o posicionamento da secretaria em relação aos 11 mil servidores ameaçados de demissão, a aprovação do Plano de Carreira, a profissionalização dos trabalhadores da escola, a realização de um concurso público para professores e funcionários, a ampliação de vagas do Profuncionário de forma que atenda com plenitude a categoria, a criação de uma comissão para discutir a saúde do trabalhador da educação, além de um reajuste salarial no valor de 15%.

Em relação à contraproposta oferecida pela SEE, se propõe: a criação imediata da comissão que cuidará da saúde do trabalhador, a realização do concurso público para professores e funcionários, previsto para o segundo semestre, e o pagamento da VDP, (Valorização de Desempenho Profissional), mais conhecida como 14º salário da Educação.  Em contrapartida, a secretaria alega que o reajuste salarial só pode ser discutido em novembro. Alega, também, que os cursos de capacitação já são oferecidos por institutos de educação, como o IFAC.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), João Sandir, a contraproposta apresentada não é satisfatória:   “Nossa categoria não está contente com a proposta do governador,apresentada pelo governo do Estado. Portanto, a partir de terça-feira,estaremos entrando em greve por tempo indeterminado; entraremos em contato coma categoria para a adesão da greve, entrem em consenso para que nossa pauta seja atendida com plenitude”.

A presidente do Sindicato dos Professores Licenciados do Acre (Sinplac) Aucilene Gurgel, se diz decepcionada com as negociações: “Não podemos aceitar propostas indecentes como esta”.  Aucilene lembra também de conquistas do sindicato, como o aumento salarial de 10% conquistado no ano de 2010 e afirma: “Vamos pra cima! Não podemos permitir que nossa profissão seja desmoralizada, tampouco aceitar um ‘não’ como resposta”.

No entanto, ela aconselha os professores a não tomarem decisões precipitadas: “Voltem pras salas, mas terça-feira nos reuniremos novamente pra irmos às ruas”, declara.  

 

« Voltar para notícias